Blog

Por que sou contra o Salário Mínimo

 

          Sei que esse assunto vai despertar muitas controvérsias e a grande maioria será totalmente contra essa minha opinião. Também vão dizer que sou contra o trabalhador e estou  em defesa da classe empresarial.

          Deixando isso de lado, primeiramente informo que sou um Libertário. Assim sendo defendo a inexistência da intervenção do Estado na vida das pessoas. Estado mínimo e a individualidade de cada um elevada a prioridade. O Estado garantindo liberdade individual, garantia de propriedade e segurança já está muito bom para sua atuação.

          Assim sendo, quando me posiciono pelo fim do salário mínimo significa a defesa do direito de cada um trabalhar pelo valor que acordar com a outra parte. Salário mínimo prejudica os trabalhadores menos qualificados e aqueles que agora estão querendo entrar no mercado de trabalho. Assim estou defendendo os mais necessitados ao contrário do que se imagina inicialmente.

          Vamos analisar os fatos em cima de números, e deixando de lado ideologias e idéias pré-concebidas. Quando um empresário vai contratar um colaborador é feito todo um cálculo do custo que o mesmo irá gerar que,  somado ao lucro que o empregador quiser auferir,  dará o quanto esse terá de produzir para compensar a sua contratação. Assim deixo uma pergunta: Como o Estado quer impor valor de salário a um empresário se ele desconhece os custos do mesmo?

          Em tese para se chegar a produzir o que o empregador quer, o funcionário precisa estar qualificado para exercer essa função. Aí é que temos o inicio do problema. Nossa mão de obra é de baixa qualificação. Dessa forma o empresário vai contratar o estritamente necessário. Se precisa de 3 vai trazer 1 para sua empresa. Com  altos custos e encargos estratosféricos não vai arriscar. Ai a economia não cresce. Por que será que 42% de nossa mão-de-obra ativa está na informalidade?

          Imagine isso para que está começando a trabalhar. O Estado já percebeu isso e assim incentiva a contratação através do Menor Aprendiz, CIEE entre outros e paga.... meio salário minimo. Ah .... o Estado pode, o empresário não.

          Se a pessoa não produz o suficiente para receber o salário minimo, não haverá contratação. Por que não deixar o contrato ser feito por valor menor? Não é melhor receber R$700,00 do que nada. Aí vem aqueles que dizem que o trabalhador será explorado. Sem receber nada o significado de explorado perde o sentido. Mesmo começando com valor menor o individuo terá chance de se apresentar ao mercado de trabalho e ai vai depender de suas qualidades e anseios.

          E sem emprego segue-se o seguinte. O Estado fala pra ele: Olha, por menos de um salário mínimo você não pode trabalhar...é seu direito assegurado. Mas já que ninguém te contrata eu lhe dou um auxilio... uma bolsa família de..... R$150,00. Aí também pode.

          E o que é pior, esse dinheiro é pago por quem produz, pois  o Estado não produz nada. Ele apenas faz extorquir quem produz para entregar o valor para aquele individuo que não pode trabalhar por R$700,00 mas deve se contentar com R$150,00. Simplesmente ridículo.

          Com essa minha primeira ponderação inicio meu Blog. Quero expor minhas idéias de liberalismo. Menos Estado...mais individuo. E nas próximas eleições, eleja idéias, não pessoas.

 

Valdeci Novelli Theodoro